6

Até que a morte nos separe?


O que faz um casamento durar várias décadas? 


Conheça esses dois casais inseparáveis e inspire-se!!!


Don e Maxine Simpson



             Don (90) e Maxine (87) moravam na Califórnia, nos Estados Unidos e passaram quase 62 anos casados. Recentemente, em 19 de julho de 2014 os dois faleceram com apenas 4 horas de diferença e o amor entre os dois ficou conhecido em vários cantos do mundo.
           Maxine era enfermeira e Don era dono de uma empresa de engenharia. Os dois conheceram-se em uma pista de boliche e casaram em 1952. Passaram boa parte da vida viajando juntos, conhecendo lugares ao redor do mundo, adotaram dois filhos e conseguiram dedicar amor e carinho um pro outro até os últimos momentos da vida.
            Lutando contra um câncer na bexiga, Maxine estava sendo cuidada em casa pela família em um quarto improvisado e Don, apesar do estado de saúde melhor, sofreu um acidente em casa e quebrou a bacia. No hospital ele viu seu estado de saúde piorar ao contrair uma pneumonia. Sabendo da ligação entre os dois e da importância da união entre eles, a família decidiu levar Don para casa e colocá-lo no mesmo quarto da esposa, para que um apoiasse o outro e ficassem juntos naquele momento tão difícil.
           Segundo relatos da família, no dia do falecimento os dois acordaram, conversaram pela manhã e deram as mãos. Pouco depois, Maxine faleceu. O marido acompanhou o momento em que a esposa foi retirada do quarto e faleceu 4 horas depois. 


Clifford e Marjorie Hatland



          Os ingleses Clifford (101) e Marjorie (97) passaram 76 anos casados e faleceram no dia 29 de julho de 2014, data do aniversário de casamento dos dois. 
          O casal se conheceu e casou em 1938 e segundo eles, foi amor à primeira vista. Clifford foi enviado para a guerra três anos depois do casamento, e foi torturado e feito prisioneiro de guerra. Marjorie recebeu a notícia de que o marido havia desaparecido e provavelmente estaria morto. Segundo a filha do casal, a mãe viveu 4 anos sem o pai mas nunca acreditou que ele havia realmente morrido.
         Clifford foi resgatado, sendo um dos quatro sobreviventes de um regimento de mais de duzentos homens. Ao voltar para casa, foi recepcionado com uma grande festa e presenteado com agradecimentos da realeza britânica.
      Algumas semanas antes do falecimento do casal, Marjorie fraturou a perna e permaneceu distante do marido. Ao retornar para a casa no dia do aniversário de 76 anos de casamento do casal, Clifford faleceu de causas naturais. Marjorie ficou arrasada e repetia que não poderia viver sem o marido. Ela faleceu 14 horas depois de ataque cardíaco, literalmente um coração partido.


              Um casamento que dura seis ou sete décadas é algo tão surreal nos dias de hoje que a surpresa ao ouvir "estamos casados há 76 anos" é inevitável.  E apesar da frase "até que a morte nos separe" ser repetida em diversos casamentos, são raros os exemplos de casais que ficam juntos por tantos anos. 
               É verdade que muitas noivas começam a organizar um casamento no mínimo um ano antes e tudo é feito para que a data da celebração seja perfeita. Desde detalhes da decoração até as lembrancinhas para os convidados. No final, ficam as fotos belíssimas e a recordação de um dos melhores e mais marcantes momentos da vida.
        Relatos como esses me fazem pensar no quanto é importante pensar no casamento não somente como uma data a ser comemorada ou uma festa a ser organizada. Eu acredito que o que manteve esses casais juntos por tanto tempo não foi uma grande recepção, mas sim o que eles fizeram durante 76 anos após a festa. 
            Então, que as noivas e esposas (e os noivos e maridos também) possam se dedicar com tanto empenho não só para que o dia da cerimônia seja maravilhoso, mas que também façam o mesmo (ou pelo menos tentem, porque não é tão simples) com os detalhes da "pós-cerimônia", que é aquele tão temido dia-a-dia, a rotina complicada que todos enfrentam, os problemas da saúde, os financeiros, os familiares, etc. O carinho e a dedicação não podem durar somente até o fim festa, né? Que bons exemplos como esses nunca deixem de existir, e que eles nos inspirem, sempre!!

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Tati, lindo texto! Eu super me emocionei, em especial com a primeira história!
    Espero em breve estar comemorando bodas de diamantes

    ResponderExcluir
  3. Estas histórias são lindas...Só o amor verdadeiro para durar tanto tempo assim...

    Abraços, Joyce
    meuape509.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que história linda...gente 62 anos e morrer com diferença de horas??? sinal que realmente não viveriam um longe do outro!!!!
    Encantada!

    ResponderExcluir
  5. Olá .....

    Passei para uma visita..e acabei ficando.
    te seguindo...posso?
    desejo voltar mais vezes....
    bom final de semana...abraços !!!

    ResponderExcluir



Dia da Noiva no Rio Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados